A SERPENTE

Sinopse

Eu sou aquilo que permanece. Transformar-me-ei em serpente que nenhum homem conhece, que nenhum deus vê.

Bio-filmografia do realizador

Nasceu em 1974. Em 1997 conclui o curso de Cinema na área de Montagem da Escola Superior de Teatro e Cinema. Em 1998 fundou a produtora O Som e a Fúria.
Os seus filmes ganharam prémios em festivais como La Biennale di Venezia, Gijón, Oberhausen e Vila do Conde e foram exibidos, entre outros, em Torino, Belfort, Montreal e Clermont-Ferrand.
Sandro Aguilar foi alvo de retrospectivas no BAFICI e em Roterdão, Nova Iorque e Arsenal-Berlim.
Em 2013 foi convidado a integrar o reputado programa DAAD – Artist in Residence, Berlim.

MARIPHASA [título provisório] [2017] BUNKER [2015] FALSE TWINS [2014] JEWELS [2013] DIVE: APPROACH AND EXIT [2013] SINAIS DE SERENIDADE POR COISAS SEM SENTIDO [2012] MERCÚRIO [2010] VOODOO [2010] A ZONA [2008] ARQUIVO [2007] A SERPENTE [2005] REMAINS [2002] CORPO E MEIO [2001] SEM MOVIMENTO [2000] ESTOU PERTO [1998]

Festivais & Prémios

Festival Internacional Curtas Metragens de Vila do Conde [Portugal, 2005] Prémio UIP, Menção Honrosa para Melhor Curta Portuguesa
IndieLisboa – III Festival Internacional de Cinema Independente [Portugal, 2006] Prémio Tóbis para Melhor Curta Portuguesa

Ver mais

Veja o filme online. A qualquer hora, em qualquer lugar.

Ficha artística

Eva Aguilar Djanira Oliveira

Ficha técnica

argumento e realização Sandro Aguilar director de fotografia Sandro Aguilar som Miguel Martins, Sandro Aguilar montagem Sandro Aguilar produtores Luís Urbano, Sandro Aguilar

35MM | 15’

© O SOM E A FÚRIA, 2005